Mães más....

Miguxas(os),

Bom diaaaa, recebi esse texto um dia quando estava muito triste, virei pro maridon e disse: 
-Eu sou uma mãe muito má, meus filhos devem me odiar!!! (Disse isso, pois aqui em casa, meus filhos tem horário pra dormir, não deixo pesquisarem trabalhos na internet antes de procurarem nas revistas que tem em casa, não deixo comer doces durante a semana, eles só jogam video game e mexem no computador as Sextas, Sábados e Domingos e somente por uma hora cada um, eles tem uma lista de tarefas domésticas na porta da geladeira, cada dia um faz uma coisa (são coisas leves como tirar o lixo pra fora, buscar as correspondências, arrumar os brinquedos, etc)!!!

No dia seguinte ele enviou um e-mail com o texto abaixo!!!
Depois de ler por inteiro, percebi que não sou má, simplesmente sou uma mãe normal!!!!

E desde então não me sinto mais culpada pela rotina que eles tem em casa!!!!

Sempre estou relendo o texto pois adorooo e gostaria de compartilhar com vocês miguxas (os)!!!!



       O texto abaixo foi entregue pelo Prof. de Ética e Cidadania da Escola Objetivo Americana, Sr. Roberto Candelori, a todos os alunos da sala de aula, para que entregassem a seus pais. A única condição solicitada pelo mesmo foi de que cada aluno ficasse ao lado dos pais até que terminassem a leitura. O texto abaixo foi publicado recentemente , por ocasião da morte de Tarcila Gusmão e Maria Eduarda Dourado, ambas de 16 anos, em Maracaípe- Porto de Galinhas. Depois de 13 dias desaparecidas, as mães revelaram desconhecer os proprietários da casa onde as filhas tinham ido passar o final de semana. 
A tragédia abalou a opinião pública e o crime permanece sem respostas.

Mães Más

 (
Autor: Dr. Carlos Hecktheuer, médico psiquiatra.)

Um dia quando meus filhos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e mães, eu hei de dizer-lhes:

 Eu os amei o suficiente para ter perguntado aonde vão, com quem vão e a que horas irão regressar.

Eu os amei o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia.

Eu os amei o suficiente para fazê-los pagar as balas que tiraram do supermercado, ou revistas do jornaleiro, e os fazer dizer ao dono: “Nós pegamos isto ontem e queríamos pagar”.

Eu os amei o suficiente para ter ficado em pé junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam o seu quarto, tarefa que eu teria feito em 15 minutos.

Eu os amei o suficiente para deixá-los ver além do amor que eu sentia por vocês, o desapontamento e também as lágrimas nos meus olhos.

Eu os amei o suficiente para deixá-los assumir a responsabilidade das suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração. Mais do que tudo, eu os amei o suficiente para dizer-lhes NÃO quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isso (e em alguns momentos como me odiaram!) Essas eram as batalhas mais difíceis de todas!

Estou feliz, venci... Porque no final vocês venceram também!

Um dia, quando meus netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e mães; quando eles lhes perguntarem se sua mãe era má, meus filhos vão lhes dizer: -“ Sim, nossa mãe era má. Era a mãe mais má do mundo...”

As outras crianças comiam doces no café da manhã e nós tínhamos que comer cereais, tomar leite, comer pão etc...

As outras crianças bebiam refrigerantes e comiam batatas fritas e chupavam sorvetes no almoço e nós tínhamos que comer arroz, feijão,carne, legumes, verduras...

Ela insistia em saber onde estávamos à toda hora (tocava nosso celular de madrugada e “fuçava” nos nossos emails) .Era quase uma prisão !

Mamãe tinha que saber quem eram nossos amigos e o que fazíamos com eles. Insistia que lhe disséssemos com quem íamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos. Nós tínhamos vergonha de admitir, mas ela “violava as Leis do Trabalho Infantil!”

Nós tínhamos que tirar a louça da mesa, arrumar nossas bagunças, esvaziar o lixo e fazer todo esse tipo de trabalho, que achávamos cruéis. Eu acho que ela nem dormia á noite, pensando em coisas chatas para nos mandar fazer.

Ela insistia sempre conosco para que lhe disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade. E quando éramos adolescentes, ela conseguia até ler os nossos pensamentos.

A nossa vida era mesmo muito chata! Ela não permitia que nossos amigos buzinassem quando chegavam a nossa casa para sairmos; tinham que bater na porta, entrar para ela os conhecer.

Enquanto os outros jovens podiam voltar tarde da noite aos 12 anos, nós tivemos que esperar pelos 16 para chegar um pouco mais tarde, e aquela chata levantava da cama para saber se a festa estava boa (desculpa!... ela queria ver como estávamos ao voltar...).

Por causa de nossa mãe, nós perdemos grandes experiências na adolescência:

Nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubo, em atos de vandalismo, em violação de propriedade alheia, nunca fomos presos por nenhum tipo de crime...

FOI TUDO POR CAUSA DELA!

Agora que já somos adultos, honestos, educados, estamos a fazer o nosso melhor para sermos “PAIS MAUS” como foi nossa mãe.

EU ACHO QUE ESTE É UM DOS MALES DO MUNDO DE HOJE: 

Não há suficientes mães más!

Àquelas que já são mães, que não se culpem, e áquelas que SERÃO, que este texto sirva de alerta!



Obs. Este foi o retrato falado de minha mãe : uma pequena grande mulher!


BJOKAS

Um lindo fim de semana para todos!!!! 

6 comentários:

Andreia Lica disse...

Kelly, bom dia!!!

Eu ja conhecia o texto, recebi na escola das minhas filhas...e sou uma mãe má...mas acho que meus filhos gostam, pq sabem que tem limites e regras e que os mesmos precisam ser cumpridos...Se todos fossem assim o mundo hj em dia seria melhor.]

Bjão

Jud disse...

Olá querida,
Adorei seu blog, já estou seguindo, tb sou adepta do faça voce mesmo!!
Qto. ao texto é isso aí, temos que dar limites, senão depois qdo crescerem ninguem mais segura.
Bjss
jud-artes

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

que texto bonito, emocionante.
pq tanta mãe que são boas mães tem essa culpa, né?
e as que são ruins não tem!

um bom fds
bjs

Maria Pimentinha disse...

Olá Kelly, tbm sou uma mãe muito má....
As coisa que mais escuto são: minhas amigas compram salgados e doces de merenda, eu tenho que merendar comida ruim (galinhada com brocolis, verduras e frutas); todas minhas amigas navegam na net, eu só fim de semana. Mas não sinto nenhum pouco de culpa, pois tive uma mãe muito "má"
Bjosss Kelly

Maria Lúcia disse...

Oi
Eu Faço parte das mães má fui tudo
isso e um pouquinho mais.
Beijos...
Lúcia

Maria Lúcia disse...

Oi
Eu de novo um blog
pra você da uma olhadinha,
fala das mães.
http://corderosachoque22.blogspot.com
Bom fim de semana.
Beijos...
Lúcia

 
Real Time Web Analytics